Archive | Show RSS feed for this section

Julieta Venegas emociona público em São Paulo

20 maio

Julieta Venegas se apresentou no Teatro Bradesco, em São Paulo, na noite da última segunda-feira, 19. A cantora norte americana contou com a casa cheia para fazer o show que faz parte da turnê “Los Momentos”: “Boa noite São Paulo! Agora podemos conversar em portunhol, ” brincou.

Com apresentação de cerca de duas horas de duração, Julieta Venegas interpretou diversos sucessos de sua carreira, como “Limón y Sal”, “Bien o Mal”, “El Presente”, e “Debajo de Mi Lengua”. Ela se emocionou durante o show e se surpreendeu com o público que além de estar com as músicas na ponta da língua, não parava de pedir canções no intervalo de uma e outra. “Adoro quando pedem músicas por que significa que precisaremos voltar para tocá-las”, disse sem titubear.

GEDC1895

Para interpretar a música Dulce Compañia, a cantora chamou Fernanda Takai, que gravou uma versão da canção em português para seu álbum, “Na Medida do Impossível”. “Estou muito emocionada de vir ao Brasil e agora posso dizer que tenho amigos aqui. Por isso vou chamar para vocês uma convidada especial, Fernanda Takai”.

No final do evento, antes de apresentar a última canção, Julieta deixou um recado: “Muito obrigada, São Paulo. Esta canção não é um adeus e sim um até logo”, falou antes de encerrar o show.

GEDC1927

GEDC1947

A americana que fala espanhol e faz parceria com brasileiros!

Ao contrário do que se pensa, Julieta não é mexicana. Ela nasceu na Califórnia, nos EUA, e foi criada em Tijuana, no México. A cantora também já fez parceria com os artistas brasileiros, Lenine, Marisa Monte e Jaques Morelenbaum. A produção da turnê é assinada pela própria artista, em parceria com Yamil Rezc. Os shows trazem piano, violino, bateria eletrônica, coro de crianças, percussões africanas, sintetizadores e acordeões.

Assista vídeos da apresentação:

ass-raphaela7113

Blur X Travis – Planeta Terra 2013

11 nov

É difícil escolher um adjetivo para descrever a emoção de assistir ao show do Blur e do Travis. Maravilhoso, emocionante, lindo podem até chegar perto da definição do que rolou no Campo de Marte, na zona norte de São Paulo, onde aconteceu o festival Planeta Terra no último sábado, mas nunca o que senti.

Fran Healy, líder do Travis comoveu os fãs quando disse que tinha esperado muito tempo para tocar no Brasil. “Olha como a tarde está linda e ensolarada. Esperamos 17 anos para vir ao Brasil. Estamos muito felizes por estar aqui hoje”, disse durante uma pausa no show.

GEDSC DIGITAL CAMERA

E estavam mesmo. Quem admira o grupo conseguiu perceber a felicidade estampada no rosto dos integrantes do grupo, muito longe do frio escocês de sua terra natal. A apresentação da banda foi digna de tudo. Estava tudo muito alinhado.  E foi tão bacana que Fran até se jogou na plateia, sem nenhum ressentimentos e empolgou quem estava no local.

E o setlist foi de primeira, muito bem selecionado. Entre as canções cantadas estavam: “Mother”, música de abertura, “Selfish Jean”, “Pipe Dreams”, “Moving”, “Flowers in the Window”, versão acústica e os grandes hits de sucesso “Side” e “Sing”.

GEDSC DIGITAL CAMERA

GEDSC DIGITAL CAMERA

GEDSC DIGITAL CAMERA

GEDSC DIGITAL CAMERA

Confira um pouco do que rolou no show:

 

Depois de ser obrigada a assistir a apresentação broxante de Lana Del Rey – desculpa, mas ela não tem muita presença de palco e seu show é muito pra baixo – finalmente assisti ao show dos ingleses do Blur.

Damon, o vocalista do grupo já chegou chegando. Eles abriram com “Girls & Boys” e colocaram todo mundo para pular. Nessa hora você esquece que está cansada, com sede e com dor nas costas.

A apresentação foi bem diferente de quando vieram ao Brasil pela primeira vez, em 1999. Depois de um início mais que explosivo, o líder da banda jogou água – em mim – no público durante a introdução do guitarrista Graham Coxon. “Sim, sim. Sábado a noite no Brasil”, disse animado depois de “There’s No Other Way”.

GEDSC DIGITAL CAMERA

Certamente este foi um dos shows mais intensos que já vi, depois do Foo Fighters, durante o Lollapalooza 2012.

O momento mais emocionante, eu diria, foi quando cantaram “Tender”, que ganhou coro antes mesmo que terminassem a introdução. Damon engatou o refrão a distância, observando o público no início da música.

Os integrantes do grupo ainda surpreenderam os fãs quando cantaram “Parklife”, com a presença do ator Phil Daniels, que viaja com o Blur para interpretar essa canção. A apresentação foi digna de tudo. Pena que tudo que é bom dura pouco.

GEDSC DIGITAL CAMERA

GEDSC DIGITAL CAMERA

GEDSC DIGITAL CAMERA

GEDSC DIGITAL CAMERA

GEDSC DIGITAL CAMERA

A melhor parte do show foi quando o Damon se jogou na grade, onde eu estava, para cantar. Eu não sabia se eu o admirava, se batia uma foto ou se pegava nele. Deu tempo de fazer tudo isso! Essa próxima imagem é a visão que tive dele.

GEDSC DIGITAL CAMERA

Para assistir a performance de “Tender” é só clicar!

ass-raphaela7113

Hanson leva fãs ao delírio

7 nov

Os anos 90 estão de volta! Pelo menos para as cerca de 3 mil fãs, a maioria mulheres entre 20 e 30 anos, que compareceram no show dos Hanson que aconteceu neste último domingo no Citibankhall, em São Paulo. Depois de 6 anos sem vir ao Brasil, o trio de Oklahoma, levou ao delírio quem marcou presença na apresentação. É que durante o concerto além de tocarem músicas no último trabalho, como “Waiting for this”, “Thinking ‘bout somethin” e “Make it out alive”, a banda também relembrou grandes sucessos do primeiro CD “Middle of Nowhere”. Músicas como “Where’s the love”, “Thinking of you”, “Madeline” e, claro, não poderia faltar “MMM Bob” que aliás, foi um dos ápices do show.

Os Hanson tocaram por quase duas horas para fãs que acompanham a carreira dos irmãos desde o começo e cantaram músicas dos álbuns recentes com tamanha empolgação. Durante o show, o vocalista e tecladista Taylor Hanson, ao anunciar a música que iriam cantar revelou que “Deeper” foi escrita no Rio de Janeiro. ”Dessa vez não tivemos a chance de ir ao Rio, mas essa música foi escrita na beira da praia, na primeira vez que estivemos no Brasil, no Rio de Janeiro, em 2000. Ela foi parar no disco  “Underneath”.

Zac e Isaac também tiveram seus momentos solos no palco. Foi quando o irmão caçula assumiu o violão e tocou sozinho ”Go”. Logo em seguida, Ike veio com ”More than anything”. Vale ressaltar um pequeno detalhe: antes o primogênito perguntou se preferiam “com guitarra ou piano”. O espetáculo não acabou por aqui, Taylor também arrasou no momento solo quando tomou conta do piano e cantou “Save me”.

O trio deixou os fãs enlouquecidos quando convidou a plateia a uma viagem ao passado. “Vamos ir de volta para 1997?”, perguntou Taylor antes de emplacar ”Madaleine”. Os garotos também lembraram os sucessos de ”Thinking bout somethin”, “Give a little”, ”Lost without each other”. Este show foi uma grande prova de que os Hanson ainda estão com tudo!

Confira um pedacinho do show. Repare que as fãs cantavam tão alto que era difícil de escutá-los!

Hanson conversa com SQ! antes do show

7 nov

Antes do show, os irmão Hanson se reuniram em uma coletiva para conversar com os jornalistas. Durante o encontro eles se mostraram bem dispostos a responder as perguntas e conversar sobre filhos, projeto social, carreira e a demora em retornar ao Brasil.

Por que demorou tanto tempo para retornarem ao Brasil? Vocês acreditam que o longo período atrapalhou? A música “Thinking ‘bout something” é um marco na carreira de vocês?

Taylor – Para a gente não importa o tempo que demorou para fazerem um show no Brasil. O importante é que estamos aqui. De forma alguma atrapalhou. Ainda temos fãs que acompanham nossas carreiras. Inclusive, todo lugar que fazíamos show tinham fãs brasileiras pedindo para nos apresentar no Brasil. Com certeza “Thinking ‘bout something” é um recomeço da nossa carreira aqui.

Como reagiriam se os filhos de vocês resolverem seguir a carreira de músico? Vocês levam as crianças para todas as turnês?

Isaac – Com certeza se seguirem uma carreira musical colocaríamos para estudar muito!

Taylor – Nós os trazemos quando dá. Nesta turnê, por exemplo, nós não os trouxemos. Para eles é uma bagunça. São seis primos no total, com certeza eles se divertem muito!

Cerca de dois anos vocês iniciaram um projeto social, o “The walk”, cujo objetivo é ajudar a comunidade africana. Vocês pretendem trazer a iniciativa para América Latina, em especial o Brasil?

Taylor – A gente não pretende divulgar desta vez o projeto aqui. Mas com certeza em outra oportunidade nós vamos voltar e divulga-lo. Uma coisa curiosa que aconteceu é que todo lugar que promovíamos as passeatas tinham brasileiros participando da ação.

Isaac – Um dos objetivos com o projeto é incentivar as pessoas a realizarem este tipo de iniciativa.

Ontem, no aeroporto vocês foram recebida por algumas fãs, não é mesmo Zac? Como foi?

Zac – Fiquei impressionado como as brasileiras são fortes. Meu Deus!

Isaac – E bonitas!

Zac – Quase me machucou. (Respondeu rindo e apontando para o braço)

Para finaliza, o que as fãs podem esperar do show?

Taylor – Para o show elas podem esperar muita diversão. Vamos tocar músicas de todos os cd’s.

Isaac – Não queremos ver ninguém parado!

%d blogueiros gostam disto: